ARTE

FAZENDO COM A PIEDADE

cartões do dia das mães (2018)

Cartões do dia das mães (2017) 

cartãomãe1

 

VÍDEOS DA SEMANA

1. ARTE MODERNA NO BRASIL

2. ARTE DIGITAL

 

 HISTÓRIA DA ARTE NO BRASIL

         No Brasil também houve manifestações artísticas rupestres - pinturas em rochas, datadas do períodos pré- histórico.

    Mas a história da nossa arte inicia-se com o descobrimento do Brasil em 1500.

           Os europeus, ao chegarem no Brasil, encontraram uma civilização que chamaremos de    pré-cabralina, ou seja, anterior à chegada de Pedro Álvares Cabral. Era uma população indígena, que possuía manifestações artísticas. A arte indígena, utilitária e religiosa, manifestava-se sobretudo nos trabalhos de cerâmica, na arte plumária e ainda nas danças rituais.

            A arte indígena sofreu muitas transformações e deteriorou-se no contato com o colonizador branco.

            Com a vinda das missões de evangelização dos índios, os jesuítas construíram colégios, conventos, igrejas e capelas. Os arquitetos, pintores e escultores que acompanhavam os jesuítas e se dedicavam a essas construções seguiam moldes do Renascimento e do Barroco, estilos de arte vigentes na Europa. As igrejas eram muito importantes por serem consideradas o centro da vida social da comunidade.

            Ao estilo dessa arquitetura se deu o nome de barroco português, que trazia, por sua vez, influência do barroco italiano. Esse estilo se caracteriza pelo exagero de detalhes e ornamentações, mas foi modificado no Brasil pelas leis severas impostas à colônia; daí  termos construções bem mais modestas.

            No período colonial, a arte era feita quase que exclusivamente para as igrejas e voltada para a vida religiosa. Mas começam a surgir artistas interessados em retratar cenas da vida cotidiana, como Leandro Joaquim, pintor e retratista do Rio de Janeiro.

            Além do Rio de Janeiro, como grande centro urbano, Minas Gerais também aparece, como polo econômico e cultural, devido ao ciclo do ouro. Aí se destaca a figura de Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, que produziu obras de grande originalidade e forte expressão.

            Com a vinda de D. João VI para o Brasil, surge a preocupação com o nível cultural do novo reino, em especial com a cidade do Rio de Janeiro, que seria sua capital. Uma das medidas tomadas por D. João VI foi a criação de uma escola de ciências, artes e ofícios. Em 1816, chegou ao Rio de Janeiro a Missão Francesa, grupo constituído de professores vindos de Paris, interessados em lecionar no Brasil.

            A chegada desses professores estabeleceu um novo marco na história da arte brasileira, a chamada época Neoclássica, na qual destacamos Jean Baptiste Debret e Nicolas Antoine Taunay, cuja influência vai se notar em seus discípulos Araújo Porto Alegre e Agostinho da Mota.

            Estes, já como professores, prepararam uma geração de artistas como Vítor Meireles, Pedro Américo de Figueiredo e Melo, Eliseu Visconti, Rodolfo Bernadelli, José Ferraz de Almeida Júnior e outros.

            Com o desenvolvimento cultural, social e econômico do Brasil no início do século XX, a arte brasileira sofreu mudanças radicais. Em 1917,Anita Malfatti  realizou em São Paulo uma exposição que escandalizou o meio artístico mas despertou o interesse dos jovens intelectuais da época para os novos caminhos da arte europeia: o Cubismo, o Expressionismo, o Futurismo e o Surrealismo.

            Surge assim o Modernismo, movimento renovador não só nas artes plásticas mas também na literatura e música brasileira. O modernismo teve como marco a Semana de Arte Moderna, realizada em 1922, cujos objetivos eram romper com as tradições acadêmicas, atualizar as artes e a literatura em relação aos movimentos artísticos europeus e ainda encontrar uma linguagem própria, nacional.

            Dentre os participantes e iniciadores desse movimento, devemos dar destaque, na pintura, a  Rego Monteiro, Anita Malfatti, Di Cavalcanti, Lasar Segall, Osvald Goeldi, Zina Aita, Jonh Graz, Regina Graz e Ferrignac, e, na escultura, a Vítor Brecheret, Hildegardo Leão Veloso, Wilhelm Haarberg. 

            A Semana de Arte Moderna marcou profundamente a arte das três décadas que se seguiram, até que em 1951 há a criação da Bienal. Observa-se a partir de então, crescente internacionalização das tendências artísticas, abrindo campo para novas pesquisas.

            A Arte Moderna no Brasil é representada por nomes muito importantes, como Tarsila do Amaral, Cândido Portinari, Alfredo Volpi, Flávio de Carvalho, Alberto Taveira Guignard, José Pancetti, Iberê Camargo, Genaro Carvalho e outros. 

pintura

PINTURA RUPESTRE

cestaria

CESTARIA INDÍGENA

igreja barroca

ESTILO BARROCO

 DI CAVALCANTI

CASAL - DI CAVALCANTI

 

 CAIPIRINHA

CAIPIRINHA - TARSILA DO AMARAL